Notícias

Decisão da Somália ordens grupo militante ADRA para deixar país

Share |
Decisão da Somália ordens grupo militante ADRA para deixar país

The al-Shabaab ruling militant group has banned ADRA from operating in Somalia, which, if enforced, could affect up to 180,000 people currently receiving aid. Above, a woman in south-central Somalia at an ADRA water project. [photo courtesy ADRA]

Al-Shabaab cita proselitismo; ADRA, outros grupos de ajuda negam acusação

August 09, 2010 | Silver Spring, Maryland, United States | ANN staff

A Agência Adventista de Desenvolvimento e Socorro é uma das três agências humanitárias que grupo dominante da Somália militante está pedindo para deixar a região.

Harakat al-Shabaab al-Mujahideen (Movimento de Juventude do guerreiro), declarou em um comunicado segunda-feira que a ADRA, World Vision e Diakonia não pode mais operar no interior do país, porque eles estão "atuando como missionários sob o disfarce de trabalho humanitário."

Em comunicado, a ADRA negou que ele está tentando fazer proselitismo através do seu trabalho humanitário e disse deixar a área prejudicaria mais de 180.000 pessoas. A agência está trabalhando para construir e reabilitar poços, proporcionar meios de vida e aumentar o acesso à educação.

Um porta-voz da World Vision disse que eles estavam "surpresos" para receber a ordem de cessar as operações lá e que o grupo de ajuda reconhece a "necessidade de se manter imparcial na resposta aos necessitados", informou a Associated Press.

Al-Shabaab assumiu a afiliação com a Al-Qaeda e responsabilidade por explosões no mês passado, em Uganda, que matou 76 pessoas. O grupo de regras mais do sul da Somália e mantém a lei islâmica estrita islâmico.

Como uma organização internacional humanitária global, a ADRA é signatário do Código de Conduta para a Cruz Vermelha Internacional e do Crescente Vermelho e ONGs em Alívio de Desastres, que afirma que "a ajuda não será utilizada para favorecer uma determinada posição política ou religiosa", que "a ajuda é dada, independentemente da raça, credo ou nacionalidade", e que as organizações "devem respeitar a cultura e os costumes."

ADRA disse que continua empenhada em servir o povo da Somália como as circunstâncias o permitirem.

ADRA realiza a ajuda humanitária em mais de 120 países, e serviu na Somália desde 1992. É um trabalho que tem se concentrado apenas na implementação de ajuda de emergência e intervenções de desenvolvimento através de vários sectores, incluindo água, saneamento, segurança alimentar, educação, saúde, infra-estrutura, capacitação institucional, apoio à agricultura e desenvolvimento econômico.

Só em 2008, mais de 650.000 somalis beneficiado trabalho humanitário da ADRA, que está localizada em várias regiões do norte e centro-sul da Somália.

Para mais informações, visite adra.org .

Voltar para a lista