Notícias

Lembrando: Monnier, de 59 anos, deixa um legado de serviço missionário

Lembrando: Monnier, de 59 anos, deixa um legado de serviço missionário

O serviço missionário Eric Monnier ao longo do rio Amazonas apoiou o crescimento e desenvolvimento da Igreja Adventista na região. Monnier depois supervisionou as operações da Igreja em Bangladesh. [foto de cortesia da Divisão Euro-Africana]

Passagens por Brasil, Bolívia, Bangladesh; Colegas lembrar sua generosidade, fé forte

February 01, 2012 | Silver Spring, Maryland, United States | Corrado Cozzi/Teresa Costello/ANN staff

Eric Monnier, de  59 anos, um missionário adventista do sétimo dia cujo trabalho estimulou o crescimento da Igreja na América do Sul na década de 1970 e 80, morreu em 22 de janeiro em Collonges-sous-Salève, França, após uma batalha contra o câncer.

A carreira missionária de Monnier durou 35 anos em dois continentes. Ele ocupou vários cargos de liderança da Igreja na América do Sul antes de aceitar um convite para supervisionar as operações da Igreja em Bangladesh.

Em 1976, Monnier e sua mulher, Françoise, aceitaram um convite para trabalhar ao longo do rio Amazonas. O casal passou três anos dirigindo o barco missionário Luzeiro XIV em que Eric serviu como piloto e mecânico. Monnier pregava sermões, construía igrejas e realizava treinamentos. Françoise, uma enfermeira, ajudava a atender as necessidades médicas. Certo número se destaca nos diários de viagem do casal -- eles extraíram 32.000 dentes.

Pastor, educador e administrador, Monnier seguiu os passos de seu pai, Samuel, que depois de décadas de serviço no campo missionário foi nomeado para vários cargos de liderança da Igreja.

Nascido em Paris, França, em 1952, Monnier foi criado numa família missionária. Passou a escola primária na Martinica e Haiti e do ensino médio no Brasil e na França.

Monnier formou-se pela Universidade Adventista da França (Campus Adventista du Salève) com formação em Teologia, Educação e Administração de Empresas. Mais tarde, durante uma licença de serviço missionário, ganhou um título de Mestrado em Divindade pelo Seminário Teológico Adventista do Sétimo Dia da Universidade Andrews.

Depois de dezenove anos de trabalho no Brasil, Monnier foi eleito presidente da União Boliviana. Em 2007, Monnier aceitou um chamado para servir como presidente da União Missão de Bangladesh. Colegas ali se lembram de seu bom humor, entusiasmo e generosidade.

"Se você quer saber quem foi o Pastor Monnier, vai encontrá-lo em Mateus 5:39-42. Tanto ele quanto sua esposa sempre buscavam dar, dar, dar", contava Sweetie Ritchil, tesoureira da União Missão de Bangladesh. "Grande parte do mobiliário no escritório e até mesmo os computadores vieram da generosidade deles. Nunca havia visto tal atitude de 'O que posso fazer para os outros?' em vez de 'O que posso receber?'"

O presidente da Divisão da Ásia-Pacífico Sul, Alberto Gulfan, lembra a convicção de Monnier. "Ele morreu firme na fé e na certeza da segunda vinda de Cristo -- uma mensagem que ele tão ousada e corajosamente compartilhava nos países onde serviu como missionário", disse Gulfan.

Monnier deixa a esposa, Françoise; os filhos do casal, Valerie e Gabriel; um neto, Emily; sua mãe, Yvonne, um irmão, Yves, e uma irmã: Elisabeth Van Bignoot.

Voltar para a lista