Notícias

Relacionar-se com a comunidade é o enfoque da primeira reunião de cúpula do Ministério Urbano da Divisão Inter-Americana

Share |
Relacionar-se com a comunidade é o enfoque da  primeira reunião de cúpula do Ministério Urbano da Divisão Inter-Americana

Grandes cidades como Caracas, Venezuela -- onde vivem mais de 7 milhões de pessoas -- são o enfoque de ministérios de evangelismo urbano em toda a Divisão Inter-Americana da IASD. [foto: Abel Marquez]

May 07, 2012 | Miami, Florida, United States | Libna Stevens/ANN staff

A liderança da Igreja Adventista do Sétimo Dia  comprometeu-se durante a primeira reunião de cúpula de Ministérios Urbanos na região da América Central a se relacionar melhor com as mais de 36 milhões de pessoas vivendo em três das maiores cidades da região: Cidade do México, México; Bogotá, na Colômbia, e Caracas, Venezuela.

Especialistas do Escritório de Missão Adventista  da sede mundial da Igreja e autoridades internacionais sobre evangelismo urbano se reuniram em Miami na semana passada para treinar mais de 100 líderes de igrejas da Divisão Inter-Americana sobre as melhores práticas em ministério metropolitano.

"Nossa intenção para este encontro é equipar os líderes da Igreja com o conhecimento e as habilidades necessárias para um enfoque exclusivo sobre as cidades", disse Samuel Telemaque, coordenador da Missão Adventista para a Igreja na América Central.

Historicamente, a Igreja Adventista tem focalizado sua energia e recursos na evangelização rural. Mas o desafio do ministério urbano permanece e deve ser enfrentado imediatamente, disse Israel Leito, presidente da Divisão Inter-Americana.

No ano passado, o presidente mundial da Igreja Adventista, Ted N. C. Wilson, apelou pela primeira vez à liderança da Igreja em todo o mundo a priorizar o evangelismo nos centros urbanos, onde metade da população mundial vive agora.

De acordo com Leito, a Divisão já alocou fundos especiais para o ministério urbano na América Central. Ele disse que o financiamento deverá continuar na medida em que a Igreja se empenhe por alcançar a sociedade secular pós-moderna com a mensagem adventista de esperança.

Para uma Igreja com mais de 150 anos de existência, "nossos métodos não foram os de trabalhar nas grandes cidades", disse Gary Krause, diretor da Missão Adventista para a Igreja a nível mundial. Krause sugere que as igrejas e instituições adventistas localizadas em regiões urbanas devem servir como centros de influência na comunidade.

"Em vez de esperar que eles venham até nós, vamos a eles como Jesus fez", disse Krause. "A igreja local não é apenas um destino; o papel da igreja é equipar, treinar e capacitar seus membros para a comunidade".

Evangelismo não é um esporte de espectadores, Krause sugeriu. "Jesus se misturava com as pessoas, mostrava simpatia por elas. Ele ministrava às necessidades, conquistava a confiança das pessoas e apelava-lhes para que O seguissem", disse ele, citando o exemplo de evangelização de Cristo como a única forma eficaz de atrair as pessoas para a Igreja.

A participação em maratonas, reuniões sobre saúde e séries de evangelismo urbano têm servido para conexão com os moradores de Bogotá, na Colômbia ao longo dos últimos anos, disseram dirigentes de igrejas da região.

Em Caracas, Venezuela, um grupo de evangelismo adventista realiza apresentações culturais em praças em toda a cidade. Outras equipes de ministério chegaram à comunidade por meio de abordagem a saúde, um movimento de plantação de igrejas e até mesmo um restaurante vegetariano.

Aprender a cultura de uma região também pode ajudar evangelistas a chegarem às comunidades urbanas, disse Samuel Wang, diretor-associado do Centro de Religiões e Tradições da Ásia Oriental. Wang falou a um grupo de pastores da Venezuela sobre alcançar mais de 1 milhão de chineses que vivem no país. Ele aconselhou os pastores a aprender a cultura chinesa. Saber que os chineses valorizam a vida familiar e um estilo de vida saudável pode ajudar os pastores a cumprirem um ministério adequado, ele disse.

Ainda assim, persistem desafios em toda a região. Tomas Torres, presidente da Igreja no México Central, disse que é lembrado da dificuldade de alcançar a sociedade secular, pós-moderna, todo dia  enquanto se dirige para o trabalho na Cidade do México.

Com mais de 20 milhões de pessoas e um índice de um adventista para 575 pessoas, a tarefa é enorme, disse ele. No entanto, Torres disse que a Igreja na Cidade do México tem se empenhado em reforçar a sua liderança e membresia por treiná-los antes de se aventurarem a realizar o ministério.

Kleber Gonçalves, diretor do Centro de Estudos Seculares e Pós-modernos, com sede no Brasil, concordou com este enfoque em treinamento.

"Trabalhar com a pessoa pós-moderna não é um trabalho para qualquer pessoa ou pastor", disse ele. "Os pastores devem ser bem treinados nessa área, porque se está num contexto diferente e as coisas não acontecem da noite para o dia".

Treinamento é exatamente o que anima Josney Rodriguez, presidente da Igreja no Leste da Venezuela. Ele já agendou Gonçalves este ano para treinar um grupo especial de pastores que dirigirão ministérios urbanos em Caracas.

Até agora, mais de 10.000 membros ativos da Igreja foram recrutados para impactar suas comunidades, em Caracas, e treinamento adicional se seguirá, disse Rodriguez.

Finalmente, o objetivo é conectar-se com a comunidade, disse Rick McEdward, diretor da Missão Global da Igreja Adventista a nível mundial. "Precisamos ser criativos com a proclamação do evangelho. Isso diz respeito a buscar aqueles fora de nossa área de conforto", disse ele.

Krause incentivou os participantes da cúpula a desafiarem a liderança local a comprometer-se em identificar as necessidades da comunidade. Em seguida, os líderes locais devem unir forças com os ministérios da Igreja para garantir que centros de influência sejam criados dentro de cada comunidade urbana.

"Essas igrejas envolvidas na comunidade são as que estão crescendo e em contacto com o mundo", disse Krause.

Voltar para a lista