Notícias

Desafios da Divisão Norte-Americana com envelhecimento de pastores

Desafios da Divisão Norte-Americana com envelhecimento de pastores

Ivan Williams, diretor do Departamento Ministerial da Divisão Norte-Americana, junto com outros líderes da Igreja, consideram como se preparar para um crescimento no número de pastores que chegam à idade da aposentadoria. Aqui, ele se apresenta num concílio ministerial, em Ontário, Califórnia, no ano passado. [foto de arquivo por Gerry Chudleigh]

May 08, 2012 | Silver Spring, Maryland, United States | Ansel Oliver/ANN

Uma revisão recente da demografia pastoral nos Estados Unidos revela que quase 50 por cento dos ministros adventistas do sétimo dia vão chegar à idade de aposentadoria em 10 anos, uma descoberta que está levando oficiais ministeriais a analisarem possíveis cenários para resolver o vindouro dilema.

Ou seja, irá a denominação contratar um novo grupo para substituir os pastores que se aposentam, ou vai pedir para que a sua força de trabalho experiente e envelhecida continue a trabalhar mais tempo do que previsto anteriormente? Cada opção tem suas vantagens, e os dirigentes da Igreja dizem que estão explorando uma mescla de ambas as possíveis soluções.

Considera-se que a idade de aposentadoria para o ano de 2022 será 66,5 anos, de acordo com Administração da Segurança Social dos EUA.

A escolha de se manter os pastores além da idade de aposentadoria, em seus 60 anos e mais anos a início dos 70, mantém pastores experientes em ação, dizem os dirigentes eclesiásticos, mas deixa várias gerações entre os pastores e os adultos jovens e adolescentes aos quais ministram. No entanto, esta relação demográfica é pequena -- os líderes dizem que a idade média de um adventista na América do Norte é de 56 anos.

Como os dirigentes abordarão a situação poderia afetar tudo, desde requisitos para a contratação e praxes de remuneração, a estipêndio de ensino teológico e as necessidades culturais de diversos fiéis da região. Todos os aspectos de desenvolvimento e apoio de ministros poderia ser submetido a análise.

"Vamos estar considerando como podemos ter pastores de alto nível de qualidade nesta oportunidade que está se apresentando", disse Dave Gemmel, diretor-associado do Departamento Ministerial da Divisão Norte-Americana (NAD), da IASD.

O que é certo é que os líderes irão explorar como renovar os esforços de recrutamento, patrocinar mais estudantes de pós-graduação para a formação teológica e desenvolver o recém-formado Conselho de Educação Ministerial. Até recentemente, a Divisão Norte-Americana (sigla em inglês NAD) era a única na denominação de 13 Divisões mundiais sem um. O conselho poderia oferecer treinamento formal adicional para ministros em atuação.

"Temos um bom sistema de educação, mas não temos tido historicamente a supervisão disso na América do Norte", disse Ivan Williams, diretor do Departamento Ministerial da NAD.

Os líderes da Igreja notam que as estatísticas acima sobre a idade de aposentadoria não incluem associações "regionais", unidades administrativas da Igreja que supervisionam historicamente congregações de afro-americanos nas regiões Central e Oriental dos Estados Unidos. Há nove associações regionais num total de 58 conferências e um campo anexo na NAD. Cerca de 25 por cento dos membros da NAD pertencem a associações regionais, de acordo com as estatísticas do escritório do secretário-executivo da NAD.

Estatísticas para este estudo foram recolhidos a partir de registros no escritório de aposentadoria da NAD. As associações regionais operam sob uma estrutura de aposentadoria separada e as estatísticas comparáveis não estão disponíveis ainda.

A divisão inteira tem cerca de 3.460 ministros ordenados e 230 ministros comissionados. Há cerca de 920 ministros licenciados, normalmente universitários de teologia que ainda têm de entrar no seminário ou diplomados do seminário para serem ainda ordenados.

Os 1,1 milhões de adventistas na NAD vivem nos EUA, Canadá, Bermudas e ilhas do Pacífico Norte, que compõem a Missão Guam-Micronésia.

Confrontar os desafios futuros de pessoal nos EUA também apresenta oportunidades para examinar outros fatores na contratação de pastores. Os líderes ministeriais dizem que gostariam que as práticas de remuneração refletissem melhor a formação de um candidato. Atualmente, os salários são semelhantes para um pastor que tem um doutorado em ministério comparado a um pastor que não tem um diploma universitário. Esse fato poderia levar funcionários da NAD a considerar fazer um ajuste nas praxes salariais. "Creio que deveriam", disse Denis Fortin, reitor do Seminário Teológico Adventista da Universidade Andrews, em Berrien Springs, Michigan.

Mas essa decisão cabe em última análise a dirigentes de Divisões, Uniões e Associações. Fortin diz ser uma tendência na última década a contratação maior de pastores que não têm grau de mestrado em Teologia, e às vezes sem mesmo diploma universitário. Um professor de seminário disse que um estudo de vários anos atrás revelou que em média cerca de quatro pastores em cada associação não têm um diploma universitário.

Esta prática de preenchimento de posições pastorais com obreiros bíblicos que tenham completado um curso de formação de várias semanas de fato viola a Praxe Operacional da Divisão Norte-Americana. Na Seção L 05 é afirmado que "o requisito educacional para entrar no ministério ordenado deve ser a conclusão do programa de formação ministerial de sete anos", especificando que pessoas com curso superior "deverão frequentar o Seminário Teológico da Universidade Andrews". Exceções são permitidas para "idade" e "circunstâncias incomuns".

Líderes do seminário dizem que uma membresia cada vez mais qualificada merece pastores educados. "Por que o ministério não precisa de boa e sólida educação, quando outras profissões na América do Norte requerem uma boa e sólida educação, seja para um advogado ou alguém da área médica?" Fortin pergunta.

Uma maneira potencial para fazer cumprir a política de contratação atual, Fortin disse, seria envolver a exigência de educação teológica antes da ordenação ou comissionamento.

Voltar para a lista