Notícias

Nos mercados malaios locais, ministério médico móvel tem enfoque urbano

Share |
Nos mercados malaios locais, ministério médico móvel tem enfoque urbano

Em Kuala Lumpur, Malásia, a enfermeira Christina Joseph oferece uma verificação de pressão arterial para um cliente de um mercado de rua de manhã, terça-feria, 29 de maio. Joseph faz parte da equipe da Esperança Sobre Rodas, um ministério médico móvel que atua nos mercados em nome da Igreja Adventista. [fotos: Ansel Oliver]

Elevar o perfil da Igreja em Kuala Lumpur sob inspiração de Pizza Hut

May 31, 2012 | Kuala Lumpur, Malaysia | Ansel Oliver/ANN

Às 7 da manhã em dia recente, um enfermeiro e dois obreiros da Igreja saíram de uma van num mercado de manhã aqui para armar mesas, artigos de plástico e duas coberturas de lona vermelhas.

O trio, todos vestindo camisas pólo brancas com guarnição vermelha, armaram a sua barraca, não para vender produtos, carnes ou bugigangas, como os vendedores ambulantes nas proximidades, mas para realizarem exames de saúde patrocinados pela Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Esse ministério em tempo integral, chamado Esperança Sobre Rodas, opera cinco dias por semana para oferecer avaliações básicas de saúde e confortar aqueles que podem estar passando por um problema de saúde grave. Com a obesidade em ascensão, alguns ficam surpresos ao saber que podem ter diabetes.

Mesmo não vendendo nada, a equipe faz negócios rápido. Dezenas visitaram o estande durante as três horas em que ali estiveram, oferecendo testes para pressão arterial, glicose e índice de massa corporal. Mais tarde, irão visitar as casas de visitantes regulares do seu estande, verificando se os clientes chamaram o seu médico sobre um problema, ou ajustaram a sua dieta, como sugerido.

Esse ministério, lançado em fevereiro, é uma operação bem local, que foi tornada possível por, literalmente, um donativo extraordinário. Um dízimo de vários milhões de dólares ofertado à Igreja Adventista a nível mundial em 2007, apelidado de "dízimo extraordinário", criou fundos para lançar projetos por todo o mundo, especialmente na Janela 10/40, um retângulo geográfico no hemisfério oriental entre os paralelos 10 e 40 de latitude norte. Estima-se que que mais de 60 por cento da população do mundo vive na região, menos de 2 por cento da qual é cristã.

Líderes denominacionais locais aqui na península da Malásia, localizado dentro da Janela 10/40, surgiram no ano passado com a idéia de um ministério médico móvel depois de ouvirem sobre iniciativas semelhantes em Nova York e Sydney. Mas enquanto alguns ministérios equipam um ônibus inteiro com os clientes vindo a bordo, a Esperança Sobre Rodas opera a partir de uma van, que pode entrar mais facilmente em mercados menores, shoppings e escolas.

"Estamos tentando criar a consciência da Igreja Adventista do Sétimo Dia", disse Leong Fai, presidente da Missão da Igreja Adventista da Malásia Peninsular, que abriga cerca de 5.200 adventistas.

A Igreja Adventista aqui é pouco conhecida, mesmo entre aqueles familiarizados com outras denominações protestantes. A missão opera em Kuala Lumpur, a capital federal e cidade mais populosa do país, com mais de 1,2 milhão de pessoas.

A Malásia é uma nação economicamente forte do Sudeste Asiático, grande exportadora de energia, óleo de palma, e peças de computador. Sua religião oficial é o islamismo, que inclui cerca de 60 por cento da população. Aproximadamente 20 por cento dos cidadãos são budistas, e os cristãos representam menos de 10 por cento. "Antes da Esperança Sobre Rodas, muitas pessoas nada sabiam sobre a Igreja Adventista como ocorre em Penang", disse Fai, referindo-se à ilha 190 km ao norte, onde fica o Hospital Adventista de Penang, que possui uma padaria. O pão da marca "Adventista" é encontrado em estabelecimentos comerciais em Kuala Lumpur.

"Se [as pessoas] sabem algo sobre a Igreja Adventista, normalmente é por causa do pão", disse Sunny Tan, um pastor que serve na equipe do Esperança Sobre Rodas. "Estamos tentando de todas as maneiras que pudermos chegar às pessoas", disse o obreiro de 30 anos de idade.

A equipe, muitas vezes, integra-se a algumas igrejas adventistas próximas para realizar uma demonstração culinária mensal. Nos mercados, os membros da equipe e voluntários sugerirão às pessoas que frequentem uma das aulas de culinária para aprender a fazer refeições mais saudáveis e atraentes.

Tan disse que a equipe tem operado aqui no bairro Puchong por dois meses. Eles geralmente ministram num mercado uma vez por semana durante três a seis meses, estabelecendo-se em locais diferentes cinco dias por semana. Ele disse que, por vezes, encontram membros de gangues extorquindo vendedores do mercado, mas esses deixam sua equipe em paz quando perceberm ser uma instituição assistencial.

Ao entrarem numa nova área, a equipe admite empregar algumas estratégias singulares. Tan disse que teve uma vez um pastor local se uniu a eles vestindo roupas exóticas. Clientes do mercado, acostumados a verem operadores de mercado em seus uniformes regulares, bem comuns no mercado, perguntavam o que estavam vendendo. "Eles não estão vendendo nada", dizia o pastor para superarem a estranheza. "Vá lá obter um exame de saúde gratuito". "Eu mesmo tive minha esposa andando por perto carregando o nosso bebê e fazendo a mesma coisa", admitiu Tan.

A equipe começou o seu planejamento em setembro passado criando um logotipo e contratando um designer para ornamentar a sua van. A inspiração para o seu nome veio das cozinhas móveis da rede Pizza Hut. "Eles tinham um slogan popular aqui 'quente sobre rodas', por isso escolhemos 'Esperança Sobre Rodas', porque é isso o que nós oferecemos", disse Christina Joseph, enfermeira da equipe, de 24 anos de idade.

Pouco antes das 8 da manhã, o terceiro membro da equipe, o obreiro bíblico Ronald Longgou, estava se abanando com a sua prancheta, com a temperatura já passando dos 30  graus centígrados no clima típico de ar úmido tropical da região próxima ao Equador. É quando Sharon Pfeiffer, uma malaia de 54 anos de idade, entrou para sua segunda visita semanal. Não é incomum que as pessoas visitem o estande da equipe até seis semanas em seguida.

"Eu vi isso na semana passada e gostei do arranjo", disse Pfeiffer. "Fiquei tão impressionada que até chamei minha amiga", disse ela, apontando para uma mulher chinesa mais velha nas proximidades.

Pfeiffer disse que sua família tem um histórico de ataques cardíacos e quer aprender a mitigar a possibilidade de passar também por isso.

Às 10 horas, a equipe desarmou a cabine, empacotou tudo e dirigiu-se a uma casa próxima de um cliente regular. A família, de ascendência indiana, ainda está de luto pela perda de sua filha de 19 anos, que morreu dois meses atrás de dengue. Ainda assim, saudaram a equipe com sorrisos.

Sentado no sofá, Tan brincou com um menino num computador por perto, enquanto Joseph, a enfermeira, se reunia com os pais na mesa da sala do outro lado da sala. "OK, tia", Joseph disse enquanto aplicava um monitor de pressão arterial na mulher.

Nada de religião foi mencionado durante a visita. Se alguma vez se falar a respeito, isso é pelo menos após uma meia dúzia de visitas. "Todas essas pessoas nunca realmente esperam que a gente vá visitá-las", disse Joseph. "Mas ficam felizes quando o fazemos".

-- Visite a página do Esperança Sobre Rodas no Facebook em facebook.com/Hopeonwheels6012

Voltar para a lista