Notícias

No Brasil, diplomata da Igreja promove liberdade religiosa com governador do estado

No Brasil, diplomata da Igreja promove liberdade religiosa com governador do estado

Representantes da Igreja Adventista se reúnem com o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, centro. À esquerda está Edson Rosa, diretor de Relações Públicas e Liberdade Religiosa da Igreja Adventista na América do Sul; à direita John Graz, diretor de Relações Públicas e Liberdade Religiosa para a Igreja a nível mundial.

Festival Mundial de Liberdade Religiosa definido para São Paulo em maio

December 13, 2012 | São Paulo, Brazil | Felipe Lemos, Lucas Rocha and ANN staff

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, deu boas-vindas ao líder máximo de relações públicas da Igreja Adventista do Sétimo Dia na segunda-feira, cinco meses antes de uma celebração em grande escala de liberdade religiosa que a Igreja vai patrocinar.



John Graz, diretor de Relações Públicas e do Departamento de Liberdade Religiosa, da Igreja Adventista, teve conversações com os líderes estaduais e municipais na semana passada para finalizar os preparativos para o Festival Mundial de Liberdade Religiosa, marcado para 25 de maio em São Paulo.

A vice-prefeita da cidade de São Paulo, Nádia Champion, disse que dava boa acolhida ao futuro evento "com grande entusiasmo". "São Paulo é o lugar mais adequado para acolher pessoas que trazem esta mensagem de tolerância e liberdade religiosa como um valor importante para a sociedade moderna", disse ela.

Enquanto Graz e líderes locais da Igreja Adventista elogiavam o Brasil por sua liberdade religiosa, eles também exortaram o Brasil a fazer mais. Num discurso para líderes da Igreja em Brasília na semana anterior, Graz pediu aos líderes nacionais para falarem mais sobre questões de liberdade religiosa em fóruns internacionais, como as Nações Unidas. A ascensão política e econômica do Brasil daria mais influência ao país em tais fóruns disse Graz.

"Hoje, pelo menos 70 por cento da população mundial vive em países com graves restrições religiosas", Graz disse aos participantes no auditório do Instituto de Educação Superior de Brasília.

Ele também destacou as tentativas da Igreja Adventista para apoiar dois membros presos sob acusações infundadas no Togo, país do Oeste Africano. A América do Sul teve um elevado índice de participação em campanhas de sensibilização para os dois homens. Graz disse que o Brasil poderia ser ainda mais "politicamente engajado" em favor da liberdade religiosa.

Ainda assim, o Brasil promulgou fortes medidas de apoio à liberdade religiosa na diversificada nação. Luigi Braga, conselheiro geral para a Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista, elogiou as atuais medidas legais, incluindo uma linha telefônica reservada que permite às pessoas denunciar abusos da liberdade religiosa e outros crimes de direitos humanos.

O Festival de Liberdade Religiosa do próximo ano é o segundo festival de caráter “mundial”. Um semelhante foi realizado no Peru, em 2009. O coordenador do evento, Edson Rosa, diretor de Relações Públicas e Liberdade Religiosa para a Divisão Sul-Americana, disse que tais eventos ajudam a conscientizar sobre a importância da tolerância para as diferentes formas de adoração. As celebrações em grande escala também oferecem agradecimentos aos países que protegem a liberdade religiosa, disse ele.

Voltar para a lista