Notícias

“Não mais aniversários”, diz Wilson no Concílio de Primavera

“Não mais aniversários”, diz Wilson no Concílio de Primavera

O presidente mundial da Igreja Adventista, Ted Wilson, insta uma audiência no Tabernáculo de Battle Creek, da Igreja, para reavivar o senso de urgência que os primeiros adventistas sentiam pela Segunda Vinda de Cristo. [foto: Brandan Roberts]

Em Battle Creek, mensagem do sábado pede para se reaver o senso de urgência

April 14, 2013 | Battle Creek, Michigan, United States | Mark A. Kellner, News Editor, Adventist Review

Reunindo-se na cidade onde a Associação Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia foi organizada pela primeira vez, os membros da Comissão Executiva da Igreja a nível mundial ouviram um chamado direto do presidente mundial da Igreja Adventista, Ted N. C. Wilson, para não esquecerem as lições aprendidas com a história adventista.



Wilson falou durante um sermão no sábado, 13 de abril de 2013, no Tabernáculo Adventista do Sétimo Dia, no centro de Battle Creek, Michigan, como parte de um fim de semana planejado para comemorar 150 anos desde que os líderes do movimento então nascente votaram organizar a confederação de crentes, unida superficialmente, numa Associação Geral.

"Este é um triste aniversário", Wilson disse aos delegados reunidos para o culto das 11:00 horas. "Deveríamos estar no lar agora! O Senhor desejou vir muito antes disto. Por que celebrar mais aniversários, quando poderíamos estar no céu?"

Os pioneiros adventistas, muitos dos quais haviam sobrevivido ao "Grande Desapontamento” de 1844 do chamado movimento "Milerita", que esperava o retorno de Cristo em 22 de outubro de 1844, ainda acreditavam na breve volta de Jesus, observou Wilson, mas agora se recusavam a definir datas. No entanto, muitos acreditavam que a obra de proclamar as três mensagens angélicas de Apocalipse 14 seria concluída rapidamente e que o retorno de Cristo seria iminente.

A Igreja Adventista do Sétimo dia, atualmente com 17 milhões de membros, ainda anuncia apaixonadamente o retorno iminente de Cristo, destacou Wilson, o 20 º presidente da Igreja desde sua organização em 1863, e pergunta se o movimento tem sido tão fiel aos mandamentos e conselhos de Deus como poderia ter sido.

"Por que devemos esperar nesta Terra por mais tempo?" Wilson perguntou. "Por que devemos celebrar mais aniversários da criação da Associação Geral? Somos culpados de não obedecer, e seguir nossos próprios conselhos, indo para trás e não para a frente? Deus chamou a Igreja Adventista do Sétimo Dia como um movimento para uma mensagem única e uma missão única. Quando a vamos abraçar plenamente e lembrar-nos da condução de Deus em nosso passado e não esquecê-Lo? Quanto tempo teremos, como o antigo Israel, em continuar quebrando nossas promessas ao Senhor e seguindo o nosso próprio conselho e não o Seu?”

Em sua mensagem de sábado, que também foi transmitida ao vivo pelo “Canal Hope”, uma rede de TV via-satélite de propriedade da Igreja Adventista a nível mundial, Wilson explicou por que o aniversário era importante, não como um momento de celebração, mas como um desafio para os adventistas agora.

"Estamos comemorando 150 anos aqui em Battle Creek, porque não queremos esquecer quem somos, de onde viemos e o que Deus tem reservado para nós, como Seu povo -- um povo único, com uma mensagem única num momento único na história da Terra", afirmou Wilson. "Jesus está voltando em breve! Todos os sinais apontam para o clímax da história da Terra. É hora de proclamar as três mensagens angélicas com o poder do Espírito Santo. Chegou a hora de colher os resultados do Projeto Grande Conflito. Está na hora de entrar em Nova Iorque e muitas outras cidades com o poder do alto clamor, com nosso projeto de "missão nas cidades"! Está na hora de utilizar plenamente o ministério de saúde abrangente para atuar como o braço direito para a mensagem do Evangelho. Está na hora de 'Dizer ao Mundo'", acrescentou, notando várias iniciativas evangelística da Igreja por todo o mundo.

Wilson ressaltou que os dirigentes da Igreja a nível mundial vão prosseguir no seu papel de orientar muitas operações globais do movimento, ao continuarem atuando na proclamação da mensagem do evangelho.  "A Associação Geral vai continuar a defender firmemente a verdade de Deus como o organismo de supervisão global da obra de Deus por todo o mundo", assegurou Wilson. "Isso não vai diminuir o seu forte papel orientador e provedor de meios sobre todos os adventistas do sétimo dia em todo o mundo até os próprios eventos da história ocorrerem, quando a perseguição religiosa finalmente impedirá o funcionamento das organizações. A Associação Geral, pela graça de Deus e de Seu poder, não será descentralizada, neutralizada ou marginalizada”.

Concluindo o seu discurso, Wilson disse que a missão dada à Igreja Adventista do Sétimo Dia, a partir de seus dias pioneiros e da organização da Associação Geral em Battle Creek, há 150 anos, é singularmente dedicada a este movimento.

"Esta mensagem não vai passar para outro grupo ou Igreja", declarou Wilson. "Não haverá outra Igreja remanescente. Você e eu somos parte da Igreja final que Deus tem preparado. [Os] 150 anos da Associação Geral é simplesmente um chamado para avançar nessa grande jornada no caminho estreito, permitindo que Deus opere o reavivamento e a reforma real e eficaz em nossas vidas e na Igreja".

Voltar para a lista