Notícias

Cúpula de Unidade Global insta a cooperação entre os Ministérios da Juventude estabelecidos e os ministérios de apoio

Share |
Cúpula de Unidade Global insta a cooperação entre os Ministérios da Juventude estabelecidos e os ministérios de apoio

Gilbert Cangy, diretor de Ministérios de Jovens para a Igreja Adventista do Sétimo Dia a nível mundial, lidera uma Cúpula de Unidade Global entre diretores de jovens da Igreja e líderes de ministérios de apoio de jovens em Laurel, Maryland, Estados Unidos, em maio. Cangy quer que cooperação, ao invés de competição, defina a relação entre os dois grupos. [Fotos: Ansel Oliver]

Líderes Jovens se comprometem a maior ‘confiança e abertura’ daqui para a frente

July 08, 2013 | Silver Spring, Maryland, United States | ANN staff

Líderes de jovens adventistas do sétimo dia dizem que uma recente reunião lançou luz sobre sua relação de trabalho com os ministérios de apoio, que durante anos foi marcada em alguns casos por mal-entendidos e uma certa tensão.



A Cúpula de Unidade Global sinaliza uma grande mudança na comunicação entre os Ministério da Juventude estabelecidos e ministérios de apoio, disseram os líderes da juventude adventista. Embora a metodologia seja diferente, vários ministérios da Igreja e grupos de apoio compartilham a mesma visão, objetivos e oportunidades de serviço para os jovens, disseram.

“Este encontro reuniu ministérios verdadeiramente de apoio que abordaram algumas das diferenças operacionais ou teológicas que surgiram ao longo dos anos” disse Gilbert Cangy, diretor de jovens para a Igreja Adventista a nível mundial.

“Sentimos que houve suficiente boa vontade e um terreno comum para nos unir e resolver isso”, disse ele.

Representantes dos Ministérios da Juventude da IASD e líderes de ministérios de apoio prometeram redefinir sua missão comum e “identificar as fontes de conflito que têm, em alguns lugares, nos dividido e poderiam continuar a ser prejudiciais”, afirma um relatório divulgado após a cúpula.

O encontro surgiu a partir do compromisso de Cangy de “trabalhar de forma cooperativa e não competitiva”. Após sua nomeação em 2010 como diretor de Ministérios da Juventude, Cangy se comprometeu a aumentar o diálogo entre a liderança juvenil da Igreja e os ministérios de apoio. Líderes dos principais ministérios de apoio estão dando boa acolhida à ideia de passar das palavras à ação.



Amy Sheppard, vice-presidente geral da Geração Jovem Para Cristo, com sede no Michigan (sigla, GYC), disse que  se sente encorajada pelo fato de que os líderes da Igreja deram um passo para envolver os ministérios de apoio. À medida que o diálogo continua, ela disse esperar que os líderes da Igreja, finalmente, “achem essencial incluir o pessoal de base da nossa Igreja, particularmente os jovens adultos, em sua visão, criando estratégias e implementação da missão da Igreja Adventista”.

A Cúpula de Unidade Global também tratou de mal-entendidos sobre a comunicação entre os ministérios de apoio e líderes de jovens da igreja local, Sheppard disse.  “A GYC sempre se esforçou para estar em comunicação regular e consistente com a liderança da igreja [local] quando promovemos o nosso evento anual, mas a percepção de que esta comunicação não acontece, infelizmente, persiste”, comentou.

Angel Duo, presidente de Serviços e Indústrias de Leigos Adventistas na Europa, concordou: “Os problemas reais que você encontra estão a nível de associação e nas igrejas. Esta é uma questão de confiança. Há que se conhecer mutuamente e trocar informações”, disse ele.

Ty Gibson, co-diretor de Portadores da Luz, um ministério de produção de mídia e um centro de recursos com base no Estado de Oregon, EUA, disse que o diálogo em curso vai trazer mais clareza e cooperação. “Nosso ministério passou por um processo semelhante anos atrás e nós [agora desfrutamos de] uma relação de trabalho positiva com a liderança da Igreja em todos os níveis”, disse Gibson que participou da cúpula como um defensor do apoio ao trabalho do ministério de jovens.

As resoluções emitidas na Cúpula da Juventude Global não impõem novas exigências sobre os ministérios de apoio ou os Ministérios da Juventude da IASD, antes convidam ambas as partes a manter o diálogo e abordar as diferenças candidamente.

Um ponto de discórdia persistente, Cangy disse, é a percepção de que alguns ministérios de apoio são movimentos marginais divulgando teologia duvidosa.  “Dentro da Igreja, há uma ampla gama de entendimentos teológicos, desde os perfeccionistas ​​que querem ver as pessoas sem pecado antes de Jesus voltar ... aos declaradamente liberais, que não veem necessidade de obediência ou prestação de contas”, disse Cangy. “A percepção era de que até mesmo [os ministérios de apoio] ao centro estavam professando um estilo de vida cristão que lhes propiciaria salvação por realizações”, disse ele.


 
“Descobrimos através das nossas reuniões que esta não era a ideia acatada. É lamentável que alguns grupos extremistas tendam a ver alguns ministérios de apoio por essa perspectiva”, acrescentou.

Daqui em diante Cangy disse esperar que tanto os Ministérios da Juventude estabelecidos e os de apoio trabalhem juntos para resolver “elementos extremos”.

Cangy prevê que cúpulas semelhantes serão realizadas em todo o mundo, “especialmente onde existam tensões” e há “um desejo de reunir pessoas de boa vontade para resolver problemas de forma construtiva”.

Um desses lugares é a Europa, disse Paul Tompkins, diretor de Ministérios da Juventude da Divisão Trans-Européia da denominação. Os líderes da Igreja lá defrontam um crescente secularismo e o evangelismo precisa ser tratado com cautela, disse ele. Ainda assim, os líderes dos Ministérios da Juventude estão otimistas.

Tompkins disse que uma abordagem unificada para os ministérios de jovens iria longe para realizar a missão da Igreja. “Nós somos muito pequenos para completar o trabalho [sozinhos]”, aduziu.

--Clique AQUI para ver um documento em pdf das resoluções da cúpula

Voltar para a lista