Notícias

No Japão, a 10 ª Conferência do APACT combate epidemia do fumo na Ásia

Share |
No Japão, a 10 ª Conferência do APACT combate epidemia do fumo na Ásia

O Secretário-Geral do APACT, Kyoichi Miyazaki, ao centro, na 10ª Conferência da organização em Tóquio na semana passada. Miyazaki, um adventista, está continuando o legado antifumo da Igreja através de seu trabalho com o APACT. [fotos de cortesia de Kyoichi Miyazaki]

Secretário-Geral adventista traz legado de temperança da Igreja para a organização

August 29, 2013 | Silver Spring, Maryland, United States | ANN staff

Defensores da saúde pública na região da Ásia-Pacífico querem que o fumo seja excluído dentre os produtos abrangidos por um proposto acordo de livre comércio regional.



O Acordo de Parceria Trans-Pacífico, do contrário, solaparia os esforços internacionais para combater a publicidade das empresas de cigarro, a Associação Ásia-Pacífico para o Controle do Fumo (APACT), disse num comunicado em 20 de agosto.

O apelo foi feito durante a 10ª Conferência da APACT, que atraiu mais de 700 delegados de 40 países para Tóquio na semana passada, entre eles adventistas do sétimo dia. A parceria comercial, disseram os delegados, daria às empresas de fumo mais poder para processar países quanto a proibições de publicidade ou outras medidas de saúde pública destinadas a restringir a venda de cigarros e outros produtos derivados do tabaco.
          
Várias grandes empresas de fumo processaram recentemente o governo tailandês por aumentar o tamanho das advertências gráficas nos maços de cigarro de 55 por cento para 85 por cento.

O APACT foi organizado para proteger a Ásia da indústria do fumo”, disse Kyoichi Miyazaki, secretário-geral da organização não-governamental e membro da Igreja Adventista. “Estamos empenhados em continuar esse legado e acabar com a epidemia do fumo na Ásia”.

Na verdade, o APACT foi criado em 1989 para lutar contra sanções comerciais destinadas a promover a venda livre de produtos de tabaco na Coréia, Japão, Tailândia e Taiwan.

Desde então, a organização tem trabalhado para conter o fluxo de fumo para os países em desenvolvimento da Ásia através da implementação de programas agressivos de controle de fumo, incluindo a proibição de consumo de cigarros, a restrição de fumar em locais públicos e programas educacionais e de intervenção abrangentes, Miyazaki disse.

O fundador do APACT, Dr. David Yen, foi um grande defensor do crescente controle do fumo na região e pressionou agressivamente por legislação antifumo, Miyazaki disse durante um discurso para homenagear o falecido líder.



O Dr. Yen freqüentemente incluía atores e outras celebridades para conscientizar sobre os perigos do fumo, entre eles Jackie Chan, que estrelou uma iniciativa antifumo chamada “Reaja ao Fumo”, em 2001.

Ainda assim, a Ásia continua a ser uma região difícil para o controle do fumo, Miyazaki e outros militantes disseram. Enquanto países desenvolvidos endurecem as restrições ao fumo, as empresas de tabaco se concentram cada vez mais nos países em desenvolvimento, onde enfrentam menos resistência . Os acordos de comércio que classificam o fumo como mercadoria legal tornam mais difícil para os países pequenos combater esses esforços .

“O [Acordo Trans-Pacífico] não reconhece o fumo como um produto exclusivamente prejudicial ou permite às nações criar regulamentação que visem a reduzir o uso do fumo”, dizia um comunicado divulgado na semana passada pela Campanha para Crianças Livres do Fumo. “A indústria do tabaco e seus aliados no governo usam cada vez mais os acordos de comércio e investimento para contestar as medidas legítimas de controle do fumo”.

Miyazaki concordou, lembrando que o partido político atual no Japão não favorece o controle do fumo. Mas, apesar dos desafios, disse ele, os militantes da causa antifumo “podem causar um grande impacto sobre o governo japonês, mostrando como muitos países asiáticos foram afetados negativamente pela indústria do tabaco no Japão”.

A Igreja Adventista liderou cedo a luta contra o fumo. Já em 1848, a co-fundadora da Igreja, Ellen White, escreveu sobre os riscos à saúde associados ao tabagismo. Na Ásia, a Igreja continua a promover programas de cessação do tabagismo e clínicas de parar de fumar. Miyazaki, que já atuou como diretor de Ministérios de Saúde da Igreja Adventista no Japão, esteve ativo no lançamento de alguns desses esforços.

O Dr. Peter Landless, diretor de Ministérios de Saúde da Igreja Adventista do Sétimo Dia, participou da conferência do APACT e aplaudiu as décadas do trabalho de temperança de Miyazaki e do trabalho antifumo na região.

“Este evento e o papel líder de um adventista do sétimo dia no trabalho antifumo nessa região muito desafiadora é uma grande notícia, declarou Landless. “Somos muitas vezes criticados de que a nossa Igreja e seus membros perderam a visão da oposição ao fumo, aqui as notícias apontam ao contrário”.

Voltar para a lista