Notícias

O MÉDICO ESTÁ DE PLANTÃO

O MÉDICO ESTÁ DE PLANTÃO

Dr. Peter Landless is the Adventist world church's new director of Health Ministries. The position helps chart the course of health promotion within the denomination and, increasingly with other organizations as the church increases its partnerships.

Novo diretor dos Ministérios de Saúde deve continuar promoção pública do estilo de vida saudável adventista; necessária abordagem 'cheia da graça’, ‘equilibrada’, diz Landless

October 03, 2013 | Silver Spring, Maryland, United States | Ansel Oliver/ANN

A Igreja Adventista do Sétimo Dia tem agora mais oportunidades do que nunca para promover sua mensagem de saúde – que fez com que os adventistas se tornassem conhecidos como o grupo de pessoas de mais longa vida já estudados, diz o Dr. Peter Landless.

Para o sul-africano de 63 anos, a promoção desta mensagem deve incluir uma abordagem “equilibrada” e “cheia de graça”, diz ele durante uma entrevista em seu escritório.

O Dr. Peter Landless é o novo diretor de Ministérios de Saúde da Igreja Adventista a nível mundial. A posição ajuda a traçar o curso de promoção da saúde dentro da denominação e com outras organizações em crescente número segundo a Igreja aumente suas parcerias.

O cardiologista, antigo professor universitário e missionário por muito tempo, relata sua carreira, que quase foi interrompida durante um acidente com uma mina terrestre enquanto servia como medico não-combatente do Exército Sul-Africano em 1979. Algumas cicatrizes e danos num dedo permanecem. Ele diz que foi “salvo para servir”.

Landless torna-se diretor do departamento de Ministérios de Saúde da Igreja Adventista deste mês, sucedendo ao Dr. Allan Handysides, que anunciou sua aposentadoria em abril. O seu trabalho inclui traçar o curso de promoção da saúde para a denominação protestante internacionalmente e cada vez mais com agências de saúde pública e governos através de um número crescente de parcerias da Igreja. O departamento também supervisiona e oferece serviços de consultoria para o desenvolvimento e operação de hospitais e clínicas adventistas em todo o mundo.

O estilo de vida saudável da denominação -- incluindo uma dieta vegetariana, abstenção de álcool e fumo, e o descanso sabático – tem sido documentado extensivamente em revistas e livros. Muitas organizações ao longo dos anos adotaram o currículo de saúde adventista como seu treinamento oficial de saúde.

Landless diz que a Igreja Adventista tem agora novas aberturas para promover publicamente a sua mensagem sobre saúde e obter oportunidades de servir mais governos por trás dos bastidores. Ele não cita alguns dos países em registro, mas confidencia: “Há oportunidades que se abrem em certas partes do mundo que são incompreensíveis”.

Landless ajuda a abrir a nova ala da Clinica Vista, da denominação, no ano passado em Tshwane, África do Sul, o maior hospital psiquiátrico privado no país. O Departamento de Saúde da Igreja a nível mundial nos últimos anos tem promovido crescentemente a conscientização e cuidados adequados para questões de saúde mental.

Ele acrescenta: “É um privilégio incrível e que inspira humildade estar aqui num momento como este”. As razões para ser grato, diz ele, são muitas:

- O Estudo de Saúde Adventista 2, conduzido pela principal Faculdade de Medicina da denominação, a Universidade Loma Linda, e parcialmente financiado pelo National Institutes of Health, continua a ganhar mais publicidade. Seus resultados mais recentes foram registrados nas principais agências de notícias em todo o mundo.

- No próximo ano, a Igreja abrirá sua sexta escola de medicina -- nas Filipinas. A denominação abriu recentemente duas outras escolas médicas em países de economia emergente -- Nigéria e Peru. Outra está despontando no horizonte da África.

- Na próxima semana, o departamento de Ministérios de Saúde da Igreja e a Associação Ministerial irão revelar a iniciativa do presidente da Igreja para o ministério de saúde abrangente no Concílio Anual, uma reunião da Comissão Executiva da Igreja a nível mundial aqui na sede denominacional mundial.

- A Igreja no próximo ano vai lançar a sua mais recente versão de “Breathe Free” [respirar livre], que é uma atualização do primeiro programa de cessação do tabagismo, lançado pela igreja em 1950. A versão atualizada foi reescrita em colaboração com a Universidade dos Emirados Árabes Unidos e da Universidade de Loma Linda da Igreja Adventista.

- No próximo ano, a Igreja voltará a se reunir com a Organização Mundial de Saúde em Genebra, dando continuidade a uma colaboração oficial para ajudar a implementar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU. Em 2009, a Igreja Adventista tornou-se a primeira denominação a colaborar com a OMS, quando a agência da ONU começou a procurar parcerias de base confessional.

Landless diz que a mensagem da Igreja sobre saúde deve continuar a ser bíblica, baseada em evidências e em sintonia com os escritos da co-fundadora da Igreja Adventista, Ellen G. White, que morreu em 1915. Foi White que primeiro pediu à Igreja para tornar a saúde parte de sua prática e ministério público. ”Precisamos nos manter na vanguarda da visão da Igreja, a mensagem de saúde plena de graça e equilibrada, o que revela o amor de Deus para um mundo quebrantado”, diz ele.

Landless frequentou a escola médica da Universidade de Witwatersrand e foi editor do jornal escolar, “The Leech”. Ele e sua mulher, Ros, serviram como missionários perto de Lesoto, um país na África do Sul, de 1976 a 1987.

Em 1977, ele foi convocado para atuar no Serviço Nacional da África do Sul como não-combatente e se recusou a carregar uma arma ou trabalhar no sábado, que os adventistas observam como o dia de repouso bíblico. Ele dirigiu uma clínica por seis dias cada semana para pessoas carentes no sudoeste da África, ao longo do que é hoje a fronteira entre Angola e Namíbia.

Num dia chuvoso, condições ideais para uma emboscada, o veículo em que ele estava foi ao encontro de minas recém-plantadas, enquanto retornava de uma visita de acompanhamento para um paciente infantil. Com Landless estavam o motorista, o guarda-costas e dois engenheiros. Eles foram lançados a 30 metros do veículo. O motorista morreu 11 dias depois. “Ser salvo desta forma destaca-se em minha mente como uma razão convincente para servir”, diz Landless. “Muitas vezes as pessoas dizem, 'O que um cardiologista altamente treinado, que poderia estar ganhando milhões, está fazendo aqui?' Eu digo que é porque somos salvos para servir, e é o maior privilégio na vida fazer isso”.

Em 1980 foi-lhe concedida a Medalha Cruzeiro do Sul de cunho militar, por primeira atribuída a um oficial médico do Serviço Nacional.

Mais tarde, naquele mesmo ano, ele foi ordenado como pastor adventista, um evento de “definição de direção”, comenta ele. “Uma vez que você aceita a ordenação, não o torna especial. Só lhe compromete hoje para o serviço de Deus”.

Ao longo dos anos, ele tem trabalhado como diretor de uma prática médica familiar, especialista em cirurgia, e vice-diretor do Departamento de Cardiologia do Hospital de Joanesburgo. Ele teve o privilégio de fazer parte da equipe de cardiologia do presidente Nelson Mandela entre 1993-1995. É certificado nos EUA em cardiologia nuclear e é membro da American College of Cardiology.

Em 2000, foi eleito diretor-associado dos Ministérios de Saúde na sede da Igreja Adventista. Desde então, foi co-autor de centenas de artigos e colunas com Handysides e tem pressionado os governos, em nome da Comissão Internacional para a Prevenção do Álcool, da Igreja.

Landless faz questão de destacar a campanha de longa data de Handysides para que a Igreja Adventista lançasse um ministério para as pessoas afetadas pelo HIV/AIDS na África, onde agora residem cerca de 40 por cento dos membros da denominação. O Ministério Internacional Adventista de AIDS completou 10 anos este ano. ”A Igreja globalmente de fato deve a ele uma dívida de gratidão”, afirma. “Acentuo isto muito mais do que apenas falar bem de um antecessor. Por muito tempo ele pediu à Igreja para estabelecer um ministério que tem ajudado a mudar a vida de dezenas de milhares de pessoas vulneráveis. Sem isso elas viveriam como párias e alguns até nem mais estariam vivendo”.

Landless diz que vai continuar o apelo de Handyside por um ministério de saúde equilibrado e por colaborações com organizações, através das quais os adventistas podem difundir ainda mais a sua mensagem de vida saudável.

Voltar para a lista