Notícias

Terceira seção da TOSC se encerra com apelo para “construir pontes”, focar em missões

Terceira seção da TOSC se encerra com apelo para “construir pontes”, focar em missões

A terceira reunião da Comissão de Estudo da Teologia da Ordenação ocorreu na semana passada em Columbia, Maryland, EUA. O presidente Artur Stele conduziu as discussões em grupo, e várias subcomissões discutiram as questões em torno da teologia da ordenação e as implicações de as mulheres serem ordenadas. [foto: Ansel Oliver/ANN]

January 29, 2014 | Columbia, Maryland, Estados Unidos | equipe da Adventist Review

Mais de 40 horas de apresentações, discussões, adoração e sessões de perguntas e respostas terminaram tranquilamente sábado à noite, 25 de janeiro, com membros da Comissão de Estudo da Teologia da Ordenação (TOSC) se abraçando ao final de um encontro às vezes contencioso.

Os primeiros quatro dias de reuniões caracterizaram pontos de vista altamente contrastantes das principais passagens bíblicas por estudiosos da Igreja, bem como um agudo intercâmbio entre entrevistadores e apresentadores sobre métodos adequados de interpretação bíblica. Líderes da TOSC várias vezes advertiram os membros a serem respeitosos com aqueles dos quais discordavam, e a confiarem nos compromissos espirituais de todos.

Cada uma das 13 Divisões mundiais da Igreja também relatou as conclusões e recomendações de sua próprias Comissões de Pesquisa Bíblica (BRC) sobre o estudo da questão de ordenação de mulheres pastoras. Enquanto cinco BRC's de Divisão expressaram apoio à ordenação de mulheres, na sua maioria as outras indicaram desaprovação. Quase todos os relatórios de Divisão definiram claramente sua vontade de aceitar a decisão que por fim for tomada pela Igreja em todo o mundo.

Eventos de fim de semana da TOSC incluíram um programa de música inspiradora oferecido pela Primeira Igreja Adventista do Sétimo Dia de Baltimore; uma mensagem devocional sexta à noite pelo presidente da TOSC, Artur Stele, um vice-presidente da Associação Geral e diretor do Instituto de Pesquisa Bíblica da denominação, e um sermão mobilizador na manhã de sábado por Mark Finley, assistente do presidente da Associação Geral e editor-amplo da “Adventist Review”.

“Uma vez tinha orado, estudado a Palavra, buscado a orientação de Deus, discutido o assunto e daí decidido, a Igreja do Novo Testamento aceitou a vontade de Deus e seguiu em frente com a missão”, declarou Finley durante o momento do culto de sábado de manhã. “Eles confiaram em que a decisão que coletivamente tomaram devia ser consensualmente adotada para cumprir apaixonadamente a missão. Cada crente individual apresentou as suas opiniões pessoais para a decisão tomada sob a orientação de Deus”.

Ao longo de sua mensagem de 45 minutos, Finley instou os components da TOSC a submeterem opiniões pessoais sob a guia do Espírito ao consenso de toda a Igreja mais ampla à medida em que esta avança na decisão das  questões de ordenação. “Quando há uma erosão da confiança, o conflito se desenvolve”, observou. “Quando há indisposição de submeter o julgamento pessoal às decisões representativas da entidade coletiva sobre que se orou e se meditou, florescerá a dissensão e a divisão”.

O sermão de Finley foi amplamente considerado como um ponto-chave no fim de semana por muitos membros da TOSC. Vários expressaram apreciação para o seu apelo de se recuperar o enfoque na missão depois que uma decisão sobre o assunto da ordenação for atingida, provavelmente na Assembleia da Associação Geral, de caráter mundial, em julho de 2015, em San Antonio, Texas.

“Depois de três reuniões [janeiro de 2013, julho de 2013, e janeiro de 2014], vi o progresso na forma como as pessoas em lados diferentes têm vindo a apreciar os argumentos apresentados pelos que se situam de lados diferentes”, disse Darius Jankiewicz, presidente do Departamento de Teologia no Seminário Teológico Adventista do Sétimo Dia da Universidade Andrews. “Até o final da semana passada, eu podia ver a construção de um consenso de que há espaço para as diferenças sobre este assunto na Igreja. Precisamos continuar este processo como membros da TOSC, e espero que os nossos resultados resultem na unidade da Igreja. O consenso poderia ajudar-nos a perceber que a unidade da Igreja não exige uniformidade sobre esta questão”. 

Um dos aspectos mais populares do processo da TOSC foi a discussão em pequenos grupos, em que os membros da Comissão participaram por quase 20 por cento do tempo total em conjunto. Os membros dos grupos de 12 pessoas foram selecionados aleatoriamente, mas pessoas com diferentes pontos de vista se achavam em todas as discussões e estudaram passagens da Bíblia juntos. Textos-chaves da Bíblia foram examinados pelos grupos de discussão, o que incluiu o relato da Criação de Gênesis 1-3; conselhos dados pelo Apóstolo Paulo à Igreja cristã do primeiro século (1 Tim. 2:12-14, I Cor 11, e Gál. 3:28), e do profeta Joel, repetida pelo apóstolo Pedro no dia de Pentecostes, de que nos últimos dias, “vossos filhos e vossas filhas profetizarão” (Joel 2:28).

A última hora de programação de sábado foi dedicada a depoimentos de membros sobre a sua experiência na TOSC, e um apelo à “construção de pontes” pelo vice-presidente da TOSC, Geoffrey Mbwana, também vice-presidente da Associação Geral.

“Nós construímos os pilares da verdade nas nossas respectivas posições”, Mbwana observou ao estar o sol se pondo sobre a paisagem coberta de neve de Maryland”. Agora é hora de colocar a plataforma da ponte sobre a qual podemos avançar juntos”.

Líderes da TOSC esperam que a próxima reunião da Comissão de 103 membros no início de junho formule recomendações para a reunião de outubro da Comissão Executiva da Igreja. Esse grupo define a agenda para a assembleia mundial quinquenal da denominação de 2015 em San Antonio, Texas.

A maioria dos membros da TOSC acredita que a ordenação de mulheres será um item importante na agenda em San Antonio, onde cerca de 2.000 delegados do movimento adventista de mais de 200 nações se reunirão para uma reunião administrativa de 10 dias.

Voltar para a lista