Notícias

Campori de Desbravadores Adventistas de 2014 tem início animado, embora um pouco molhado

Share |
Campori de Desbravadores Adventistas de 2014 tem início animado, embora um pouco molhado

O Campori de Desbravadores 2014 começou hoje, com muitos dos 46 mil participantes visitando exposições e estandes nos hangares de aeroporto da área de acampamento em Oshkosh, Wisconsin, EUA.

Mais de 46.000 pessoas que chegam ao estado de Wisconsin, EUA, para um Campori de grande monta; vários clubes percorreram de bicicleta mais de 1.300 km de distância

August 12, 2014 | Oshkosh, Wisconsin, Estados Unidos | Ansel Oliver/ANN

Os juvenis estão animados em encontrar pessoas de outros países. Os adolescentes estão ansiosos por escalar muros e parques limpos. E seus acompanhantes estão contentes porque a maioria dos celulares estará desligada por uma semana.
 
O enorme Campori de Desbravadores Adventistas do Sétimo Dia começou aqui no estado americano de Wisconsin, que é palco de um evento trazendo 44 mil pessoas de todos os Estados Unidos, Canadá e Bermuda, e um adicional de 2.000 pessoas de mais de 50 outros países.
 
O evento—o Campori de Desbravadores da Divisão Norte-Americana, organizado pelo Centro para Evangelismo Juvenil—é realizado a cada cinco anos. O organizador, Ron Whitehead, diz que demora quatro anos para planejar. “Eu nunca estive tão fisicamente exausto, mas nunca estive mais feliz por estar tão cansado”, disse Whitehead. “Realmente nos importamos e valorizamos os nossos jovens”.
 
O Campori deste ano—tendo por tema “Fiel Sempre”—está sendo realizado na área de acampamentos AirVentura da Experimental Aircraft Association. Esta é a quarta vez que os organizadores realizaram o evento aqui, e o encontro aumenta a população da cidade de Oshkosh em cerca de 70 por cento.
 
De hoje até sábado, dezenas de milhares de juvenis adventistas do sétimo dia e seus amigos irão participar de projetos de serviços comunitários, participar de programas espirituais noturnos e ganhar sinalizadores “de honra” por suas atividades de serviço e de aprendizagem.
 
Alguns desbravadores poderiam muito bem receber uma honraria por apenas ficar aqui. Hoje, 11 membros de clubes da Associação da Carolina, da denominação, chegaram após cobrir em bicicletas o trajeto de 1.330 quilômetros. Outros clubes passaram anos angariando fundos com lavagens de carros e vendas de bolos para ganhar suas taxas de inscrição, fundos de viagens e suprimentos.
 
Agora que a maioria dos clubes está aqui, as caminhadas começaram, e parte delas é pela lama. O evento está sendo realizado num acampamento de 202 hectares, onde estradas de terra se transformaram em áreas enlameadas ontem à noite depois do vento e da chuva.
 
Ainda assim, a maioria dos participantes está mantendo uma atitude positiva diante do tempo, que está previsto dever melhorar pelo resto da semana, propiciando um bom ambiente para o grande encontro.
 
“Tem sido um tanto desafiador. Nossa barraca de cozinha voou para longe”, disse Terell Rhooms, de 15 anos, do Clube de Desbravadores Frontiers, da Igreja Adventista de Hope, em Toronto, Canadá. Eles já a amarraram, ele disse enquanto esperava pela abertura das exposições nos hangares do aeródromo. Rhooms disse ter ouvido que haverá basquetebol, tirolesa e uma pista de obstáculos como atividades durante o Campori. “Vim porque soube que é divertido”, disse Rhooms. “Todo mundo disse que era uma boa experiência, boas lembranças, e você se aproxima de Deus”.
 
Tiffany Fronda, de 27 anos, vice-diretora do Clube de Desbravadores Challengers da Igreja Adventista de Hindsdale, Illinois uma filipina-americana, disse que o tempo “não era bom nem mau”. “Nós tivemos temperaturas frias [anteriormente], tornados, tempo super quente, propenso a insolação. Agora temos a chuva. Todas as estações”. Mas, comentou, “o Senhor sempre intervém”, antes de acrescentar: “Pelo menos não temos que nos preocupar com uma tempestade de areia”, como ocorreu no Campori de 1994, no Estado do Colorado.
 
Abigail Oré Calderon, de 12 anos, de Lima, Peru, que gosta de camping e “aventuras”, disse, “Mesmo que esteja chovendo, estou feliz por estar aqui”. Ela e seu grupo do Clube de Desbravadores Órion, da Igreja Adventista Villa Unión, estão sendo hospedados por um clube dos Estados Unidos.
 
Esse grupo, da Igreja Adventista Mentone, em Mentone, Califórnia, entrou online antes do Campori para escolher um grupo internacional para hospedar. O membro David Guajardo, de 13 anos, disse que veio porque gosta de acampar, e seus pais o encorajaram. “Eles disseram que seria uma experiência única na vida”, afirmou.
 
Vários líderes de clubes disseram que a melhor parte em vivenciar o evento é simplesmente ter os Desbravadores interagindo uns com os outros. Alguns estão mesmo criando uma regra de que as câmeras são os únicos aparelhos eletrônicos permitidos. No aeroporto de Milwaukee, na noite passada, o líder de Desbravadores, Lester Lorenson, de Burnaby, da Columbia Britânica, Canadá, deixou seus desbravadores brincarem com jogos em seus celulares enquanto esperavam por uma van, mas seu plano era que os dispositivos móveis fossem desligados durante o resto da semana. “Quero que sejam uma equipe”, disse Lorenson. “Quando estão brincando com jogos não estão falando uns com os outros, experimentando coisas, fazendo exercícios, provocando uns aos outros, coisas que os menores fazem”.
 
O Campori está programado para ocorrer até 16 de agosto.
Mais fotos do evento podem ser vistos nos álbuns do Flickr da ANN e da Divisão da Norte-Americana, bem como na página de Facebook da ANN.

Voltar para a lista