Adventist News Network®

The official news service of the Seventh-day Adventist world church

Declaração de saúde da Igreja Adventista posições para fazer lobby sobre questões globais

Segue julho reunião com Organização Mundial da Saúde

Segue julho reunião com Organização Mundial da Saúde


Sétimo dia Ministérios de Saúde Adventista terão agora maior ênfase na saúde pública e possíveis parcerias com organizações aliadas, após a acção tomada esta manhã pelo Comitê da Igreja a nível mundial Executivo.

Oficiais da igreja votaram uma declaração recomendada a partir de uma conferência de julho, que reuniu líderes adventistas top Igreja e representantes Organização Mundial de Saúde para explorar as possibilidades de parceria para implementação de iniciativas de saúde pública.

A declaração afirma objetivos de saúde da Igreja de servir a comunidade e melhorar a saúde global.

"Isso move a Igreja a ser um jogador em uma arena maior", disse Allan Handysides, a igreja de Saúde diretor de Ministérios.

"Enquanto nós estamos continuando a trabalhar com e para os indivíduos, agora vamos também abordar os problemas sociais da saúde", disse Handysides.

A declaração surge três meses depois da Igreja Adventista, Jan Paulsen, presidente exortou a igreja a parceria com organizações similares credível cujo objetivo é melhorar a saúde global. Em um discurso para a Conferência Global de julho de Saúde e Estilo de Vida, Paulsen disse que o trabalho da igreja seria reforçada através de parcerias.

"Não podemos expressar a nossa fé, nosso desejo de imitar a Cristo, em isolamento", disse Paulsen na conferência.

Hoje, Handysides disse que a igreja poderia estar agora em uma posição para advogar em questões de saúde nos níveis local, estadual e nacional. Ele especificou questões como a segurança da criança, nutrição comunitária e "acesso não-discriminatório universal de cuidados de saúde disponíveis."

A declaração afirma o ensinamento da Igreja de cuidados baseados em evidências primárias e também inclui os direitos e as responsabilidades de "dignidade humana", "justiça social" e "autodeterminação".

Clique aqui para ler a declaração.