Adventist News Network®

The official news service of the Seventh-day Adventist world church

Conferência ‘À Imagem de Deus’ sobre sexualidade abre em Cidade do Cabo para discutir homossexualidade

Reunião abordará questões do chamado GLBT

Conferência ‘À Imagem de Deus’ sobre sexualidade abre em Cidade do Cabo para discutir homossexualidade

The "In God's Image: Scripture. Sexuality. Society." summit meets this week in Cape Town, South Africa, to address homosexuality.

Magnifying Glass View Larger

Reunião abordará questões do chamado GLBT


Cerca de 350 líderes, pastores, acadêmicos e especialistas em serviços humanos da Igreja Adventista do Sétimo Dia se reúnem na Cidade do Cabo, África do Sul, para uma reunião de cúpula de quatro dias na intenção de ajudar a Igreja em todo o mundo a lidar melhor com as experiências de homossexualidade e sexualidades alternativas. 

Intitulada “A imagem de Deus: Escritura. Sexualidade. Sociedade”, a conferência no extremo sul da África pretende ser “uma conversa com pessoas-chave na liderança mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia para obtenção de uma maior compreensão das questões que envolvem sexualidades alternativas, e para aconselhamento conjunto a respeito dos desafios que a Igreja enfrenta nesta área”, disseram os organizadores. 

Cada uma das 13 Divisões mundiais da denominação enviou uma delegação de pelo menos 20 pessoas compostas por administradores sêniores, eruditos em Teologia e ciências sociais, e “o pessoal da linha de frente”–pastores, capelães e diretores de recursos humanos—para o evento intensivo que começa em 17 de março. O discurso de segunda-feira à noite pelo presidente mundial da Igreja, Ted N. C. Wilson, é intitulado “A verdade como ela é em Jesus”.

Pardon Mwansa, um nativo de Zâmbia que é vice-presidente geral da Igreja e presidente da comissão da sede denominacional que organizou a cúpula, acredita que o evento é um divisor de águas para a discussão adventista de questões sociais e religiosas difíceis. “Estamos lidando com uma questão sobre a qual o mundo em torno de nós já formou uma percepção”, disse Mwansa. “Não podemos evitar lidar com este assunto, porque essas percepções afetam o modo como nos expressamos. A Igreja precisa de tornar clara a sua luz: devemos dizer onde estamos sobre este assunto para que as pessoas nos entendam e para definir como vemos este assunto. . . . Somos um grupo moral—uma igreja—e temos que resplandecer e dizer apenas qual é a luz sobre esta questão”.

Mwansa também ressaltou a importância da conferência da Cidade do Cabo, apontando para as pessoas presentes. “Esta é uma reunião para a qual toda a liderança da Igreja tem sido convidada e todos vão participar”, observou. “A qualidade dos encontros é geralmente julgada por quem deles participa, e aqui se têm todos os diretores de Divisão mundiais presentes, juntamente com pastores, professores e pessoal de serviços humanos. O objetivo é ter certeza de que o que se faz aqui reflete o pensamento social da Igreja”.

Os organizadores da cúpula são claros em que não pretendem uma redefinição da oposição histórica da Igreja a toda a expressão sexual diferente do casamento heterossexual entre um homem e uma mulher. Listados primeiro entre os “objetivos de aprendizagem” da cúpula está o objetivo de “descrever o ensinamento da Bíblia sobre sexualidades alternativas”. Duas das primeiras três sessões plenárias da conferência se concentrarão em como ler e compreender os ensinos bíblicos sobre a sexualidade humana, bem como passagens específicas tanto do Antigo quanto do Novo Testamento que tratam do comportamento homossexual. 

Na terça-feira à noite, três adventistas que passaram significativas porções de suas vidas adultas em relacionamentos como gays ou lésbicas vão relatar suas experiências num painel da sessão plenária. Wayne Blakely, Ron Woolsey e Virna Santos descrevem-se como “resgatados” de comportamentos homossexuais, e agora lideram ministérios destinados a ajudar outros a organizarem suas vidas de acordo com as normas bíblicas. Woolsey, por muitos anos agora num casamento heterossexual, também é pastor adventista ordenado.

Questões legais e trabalhistas da denominação com legislação sobre homossexualidade em várias nações estarão em foco num painel do plenário quarta-feira de manhã, moderado pelo vice-presidente geral da Associação Geral, Lowell Cooper.

Duas sessões plenárias adicionais na quarta-feira à tarde e à noite procurarão atualizar a delegação internacional sobre os últimos entendimentos quanto à homossexualidade e sexualidades alternativas do ponto de vista da Medicina e da Psicologia. O Dr. Peter Landless, diretor de Ministérios de Saúde da Igreja Adventista a nível mundial, e o Dr. Peter Swanson, professor-assistente de atendimento pastoral e um psicólogo licenciado que atua no Seminário Teológico Adventista do Sétimo Dia da Universidade Andrews, em Michigan, EUA, abordarão os resultados de pesquisas sobre os possíveis papéis desempenhados pela genética e influências sociais na formação de sexualidades alternativas.

Na quinta-feira, a cúpula se concentrará em ministério a homossexuais e àqueles que praticam sexualidades alternativas, e discutir como a denominação deve lidar com a questão de acolhimento como  membros da Igreja daqueles que não seguem o ensinamento bíblico sobre a sexualidade humana. O Dr. Miroslav Kis, professor de ética na Universidade Andrews, vai oferecer uma visão geral sobre as questões éticas com que a Igreja deve lutar tanto a nível global quanto congregacional ao buscar ser clara sobre a sua lealdade para com o ensino da Bíblia e ser compassiva para com os indivíduos em várias experiências de vida.