Adventist News Network®

The official news service of the Seventh-day Adventist world church

No Campori de Desbravadores, dramatização de Daniel oferece importantes lições

O tema de sempre ser fiel é destacado no programa em que também a peruca de Nabudonosor sai voando

No Campori de Desbravadores, dramatização de Daniel oferece importantes lições

O ator Bryan Roback, fazendo o papel do rei Nabucodonosor, perde a coroa e a peruca durante um diálogo intenso numa dramatização na quarta-feira, 13 de agosto. A dramatização noturna no Campori de Desbravadores de 2014 apresenta lições do livro de Daniel quanto a sempre se manter fiel a Deus. Foi apresentado num palco de 30 metros de largura para uma plateia de mais de 46.000. [Foto: James Bokovoy]

O tema de sempre ser fiel é destacado no programa em que também a peruca de Nabudonosor sai voando


Um fato engraçado ocorreu no caminho ao trono em noite passada. A peruca do rei Nabucodonosor voou enquanto ele discursava diante de sua cadeira gigante.
 
Foi uma cena não planejada que o destino deixou para o ator Bryan Roback na quarta-feira à noite quando ele se sentava num palco de 30 metros de largura. Ele fazia parte de um elenco que encenava para 46 mil pessoas sentadas em cadeiras de campismo num acampamento no meio do Estado de Wisconsin. Embora o incidente não fizesse com que Roback perdesse nada do seu desempenho,--nem de seus colegas de elenco, exceto por alguns ligeiros risos—foi o que causou as maiores risadas da noite, tanto do público quanto de alguns atores nos bastidores.
 
O incidente, no entanto, foi rapidamente perdoado. Para muitos participantes do Campori de Desbravadores da Divisão Norte-Americana de 2014, a encenação da noite foi um destaque do evento de seis dias.
 
A dramatização em sequência durate a semana apresenta lições do livro bíblico de Daniel e é a penúltima parte da programação de todas as noites. O roteiro é recheado de bom-humor—com cenas planejadas nesse sentido—mas os atores esperam que as dezenas de milhares de jovens adventistas aprendam o tema do êxito de Daniel. Como tema do Campori, “Para sempre fiel”, a vida notável de Daniel ascendendo ao governo de Babilônia e sobrevivendo à cova dos leões é atribuída a sua confiança em Deus.
 
Para Roback, um nativo de Oregon de 26 anos de idade, que agora trabalha em cinema e teatro em Las Vegas, o papel de líder de Babilônia pode ser sombrio, mas disse que gosta de fazer o personagem para um propósito maior. “Você não pode ter o bem sem o mal”, Roback disse em entrevista nos bastidores, na sexta-feira. “Minha parte é ir para a escuridão, para que as pessoas possam ver a luz”.
 
Muitos dos juvenis presentes disseram que levaram a encenação a sério por causa da qualidade da atuação, figurino e produção. “É engraçado e realmente autêntico, eu acho”, disse Julia Fisher, de 13 anos, procedente do Clube de Desbravadores Falcons de Fayetteville, na Carolina do Norte. “É assim que imagino que seria na Bíblia”.
 
“Nunca vi um drama como este em Hong Kong, comentou Trevor Ko, de 15 anos, pertencente ao Clube de Desbravadores Tai Wo, de Hong Kong, China. “Os figurinos, os adereços, a estátua de grande altura, são todos muito legais”.
 
Além do enorme palco e cinco monitores de tela grande requeridos para transmitir o programa da noite, o próprio Campori é o seu próprio espetáculo. Mais de 44 mil pessoas vieram da Divisão Norte-Americana da denominação e um adicional de 2.000 pessoas de outros países.
 
O evento é realizado a cada cinco anos, e isso aumenta a população da cidade de Oshkosh em mais de 70 por cento durante a semana. O parques de acampamento estende-se por 202,33 hectares na área de acampamentos AirVenture da Aircraft Association Experimental. É uma semana de atividades, reuniões, troca de alfinetes, serviço comunitário e piqueniques.
 
Como no incidente da peruca de Roback, por vezes os participantes têm que manter a postura, a despeito de ocasionais contratempos. As filas podem se alongar em frente dos treilers de chuveiro e banheiros portáteis. Estava bastante frio nesta quinta-feira para vários grupos que planejavam uma excursão pelo parque aquático. Segunda à noite choveu, transformando rotas de metade do local em pura lama.
 
Mas na maioria dos dias o clima tem sido agradável, proporcionando o que os participantes dizem ser um ótimo ambiente para adoração, jogos, desfiles e para ganharem “honras” de ensino—sobre tudo, desde espaço, geologia e rios até energia elétrica, moedas e artesanato.
 
No final da tarde, crianças exaustas retornam a seus acampamentos para se unirem a seus acompanhantes também cansados, alguns dos quais cozinham todos os dias para o seu clube ou grupo de clubes.
 
Muitos clubes se reúnem sob lonas para o jantar, jogos de mesa e risos; alguns apenas se sentam para contemplar as estradas enquanto pessoas caminham ou um dos 700 carros de golfe passa. 
 
Depois do jantar, os clubes fazem a caminhada até o anfiteatro ao ar livre. As multidões que chegam se enfileiram pelas rotas, chegando após várias horas para um festivo local de frisbees voadores e bolas de praia, ao som dos tambores de um improvisado grupo de percussionistas, com portadores de bandeiras avançando pelos corredores.
 
O programa apresenta um resumo diário de vídeo, ventríloquista, exibição de talento, culto com música, a dramatização de Daniel, e uma palestra de 10 minutos por Sam Leonor, o capelão da Universidade La Sierra, em Riverside, Califórnia. Muitos participantes dizem que suas devocionais também são um destaque. “É curto, mas direto ao ponto. É profundo”, disse Irma Tabárez, 16, da Igreja Adventista Hispana de Hermiston, no Oregon.
 
Leonor resume a lição da encenação e acrescenta uma experiência pessoal antes de apelar aos juvenis para aceitarem a Cristo—o objetivo maior do Campori. “Jesus é sempre fiel”, Leonor falou à multidão na noite de quinta.
 
—Reportagem adiconal por James Bokovoy