Adventist News Network®

The official news service of the Seventh-day Adventist world church

Adventistas instados a estudar a ordenação de mulheres por si mesmos

O presidente Wilson e o presidente da TOSC, Stele, também pedem orações para que o Espírito Santo guie o processo

Adventistas instados a estudar a ordenação de mulheres por si mesmos

O presidente mundial da Igreja Adventista, Ted N. C. Wilson, apelou aos membros para estudarem a Bíblia a respeito da teologia da ordenação na medida em que a Igreja continua a examinar o assunto no Concílio Anual no próximo mês e na Assembleia da Associação Geral no próximo ano. Acima, Wilson apresenta o sermão de sábado no Concílio Anual do ano passado. [Foto de arquivo da ANN]

Magnifying Glass View Larger

O presidente Wilson e o presidente da TOSC, Stele, também pedem orações para que o Espírito Santo guie o processo


Ted N. C. Wilson, presidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia, apelou aos membros da igreja em todo o mundo para lerem sinceramente o que a Bíblia diz sobre a ordenação de mulheres e de orarem para que ele e outros líderes da Igreja, humildemente sigam a orientação do Espírito Santo sobre o assunto.
 
Os membros da Igreja que desejarem entender o que a Bíblia ensina sobre a ordenação de mulheres não têm razão para se preocupar sobre onde começar, disse Artur A. Stele, que supervisionou um estudo sem precedentes de dois anos sobre a ordenação de mulheres como presidente da Comissão de Estudo da Teologia da Ordenação (sigla em inglês TOSC).
 
Stele, que repetiu o apelo de Wilson aos membros da Igreja para lerem a Bíblia e orarem sobre o assunto, recomendou a leitura de três breves “Declarações do Caminho Adiante”, do estudo que cita textos da Bíblia e da co-fundadora da Igreja Adventista, Ellen G. White, para apoiar cada uma das três posições sobre a ordenação de mulheres que surgiram durante a investigação da comissão.
 
Os resultados do estudo serão discutidos em outubro, no Concílio Anual, uma importante reunião administrativa dos dirigentes denominacionais. O Concílio Anual, então, decidirá se vai pedir aos cerca de 2.600 delegados da Igreja a nível mundial para atuarem numa chamada final sobre a ordenação de mulheres, numa votação na Assembleia da Associação Geral em julho próximo.
 
Numa entrevista, Wilson exortou cada um dos 18 milhões de membros da Igreja a lerem com oração os materiais de estudo, disponíveis no site do Escritório de Arquivos, Estatística e Pesquisa da IASD. “Examinem para ver como os documentos e apresentações foram baseadas num entendimento de uma leitura clara das Escrituras”, disse Wilson em seu escritório na sede da Associação Geral em Silver Spring, Maryland.
 
“O Espírito de Profecia nos diz que devemos tomar a Bíblia como se lê,” ele disse. “E gostaria de incentivar cada membro da Igreja, e, certamente, cada representante no Concílio Anual e aqueles que serão delegados à Assembleia da Associação Geral, para rever em oração essas apresentações e, em seguida, pedir ao Espírito Santo que os ajude a conhecer a vontade de Deus”.
 
Espírito de Profecia refere-se aos escritos de White, que entre suas declarações sobre como ler a Bíblia, escreveu em “O Grande Conflito” (p. 598), “A linguagem da Bíblia deve ser explicada de acordo com o seu significado óbvio, a menos que um símbolo ou figura seja empregada”.
 
“Nós não temos o luxo de contar com o Urim e o Tumim”, disse Wilson, numa referência às pedras que o sumo-sacerdote israelita usava nos tempos do Antigo Testamento para saber a vontade de Deus. “Também não temos um profeta vivo conosco. Portanto, temos de contar com a liderança do Espírito Santo em nosso próprio estudo da Bíblia ao passarmos em revista os ensinos das Escrituras”.
 
Ele disse que a liderança mundial da Igreja estava comprometida com “um processo muito aberto, justo e cuidadoso” sobre a questão da ordenação de mulheres.
 
Wilson acrescentou que a questão crucial diante da Igreja não era se as mulheres devem ser ordenadas, mas se os membros da Igreja que não concordarem com a decisão final sobre a ordenação, seja qual for, estariam dispostos a deixar de lado suas diferenças para se concentrarem na missão de 151 anos da Igreja: proclamar Apocalipse 14 e as mensagens dos três anjos de que Jesus está chegando.
 
3 pontos de vista sobre a ordenação de mulheres:

Num esforço para compreender melhor o ensinamento da Bíblia sobre a ordenação, a Igreja estabeleceu a Comissão de Estudo da Teologia da Ordenação, um grupo de 106 membros comumente referidos pelos líderes da igreja pela sigla (em inglês) TOSC. Não foi organizada para ser proporcionalmente representativa da Igreja a nível mundial, mas simplesmente para realizar o estudo de dois anos. Numa primeira, as Comissões de Pesquisa Bíblica especiais em cada uma das 13 Divisões mundiais da Igreja contribuíram para o processo de estudo e foram representados na TOSC.
 
O principal objetivo da TOSC, que encerrou seus trabalhos em junho, era determinar se poderia ser encontrado um consenso sobre a ordenação de mulheres, o que não se fez possível. Seus membros se dividiram em três campos, conhecidos como Posições nos. 1, 2 e 3:
 
A Posição 1 enfatiza as qualificações bíblicas para a ordenação como encontradas em 1 Timóteo 3 e Tito 1 e o fato de que nunca na Bíblia mulheres foram ordenadas como sacerdotes, apóstolos e presbíteros. Por isso, argumenta, a Igreja Adventista não tem base bíblica para ordenar mulheres.
 
A Posição 2 enfatiza os papéis de liderança das mulheres do Antigo e Novo Testamento, como Débora, Hulda, e Júnia, e passagens bíblicas em Gênesis 1, 2 e Gálatas 3: 26-28 que ressaltam serem todas as pessoas iguais aos olhos de Deus. Por isso, alega, o princípio bíblico da igualdade permite que a Igreja Adventista ordene mulheres a posições de liderança na Igreja, sempre que possível.
 
A Posição 3 apoia a posição 1 em reconhecer um padrão bíblico de liderança masculina em Israel e a Igreja cristã primitiva. Mas também enfatiza que Deus fez exceções, como é o caso de conceder o desejo de Israel por um rei. Ele diz que a ordenação de mulheres é uma questão de política da Igreja e não um imperativo moral e, portanto, a Igreja Adventista deve permitir que cada campo decida se deve ou não ordenar mulheres.
 
Wilson pediu aos membros da igreja que examinem todas as três posições, apresentadas no relatório final da TOSC. “Certifiquem-se de examinar todas as apresentações e entender como Deus lhes está falando a partir da Palavra e sua caminhada diária com Ele”, recomendou Wilson.
 
Embora a TOSC não tenha alcançado um consenso sobre a ordenação de mulheres, seus membros fizeram aprovar uma declaração de consenso sobre a teologia da ordenação e, num comunicado em separado, afirmou que continuam “comprometidos com a mensagem e a missão da Igreja Adventista do Sétimo Dia como expressas através das 28 crenças fundamentais”.
 
Wilson disse que espera que todos os membros da Igreja abracem uma disposição semelhante. “Se não tivermos cuidado, o diabo vai nos desviar à controvérsia criando uma distração do que Deus quer que a Sua Igreja remanescente dos últimos dias realize, e que é proclamar as três mensagens angélicas e compartilhar de bom grado a notícia de que Cristo em breve estará vindo”, afirmou. “A grande questão é como nos relacionamos com a missão permanente da Igreja”.
 
O Membros da Igreja devem ler

Stele, que preside a  TOSC e é diretor do Instituto de Pesquisa Bíblica da Igreja, disse que se os membros da Igreja não considerarem nada mais, devem ler os breves textos da comissão, “Declarações do Caminho Adiante”. “Se as pessoas querem ter uma ideia bastante rápida, podem ir para as “Declarações do Caminho Adiante”, disse ele numa entrevista. “Então, quando se tornarem mais interessados, podem ir para o ‘Sumário das Posições’”.
 
Os Sumários mais longos fazem parte do relatório final de 127 páginas, que também inclui a definição de uma página aprovada pela TOSC da teologia da ordenação, a história da TOSC, e uma lista de muitos trabalhos acadêmicos elaborados para o estudo.
 
O estudo foi iniciado a pedido de um delegado na última Assembleia da Associação Geral, em 2010, e sua necessidade foi sublinhada por um coro crescente de apelos para a ordenação de mulheres a partir de alguns líderes da Igreja na região. Para complicar, três das 124 uniões da Igreja -- duas nos EUA e uma na Alemanha - autorizaram a ordenação de mulheres em 2012, apesar de um apelo de administradores da Igreja para que se esperasse os resultados do estudo e a possível votação na Assembleia da Associação Geral do próximo ano. A Igreja a nível mundial não reconhece as decisões das três uniões.
 
Stele instou os membros da Igreja a não serem influenciados por pontos de vista de outras pessoas sobre a ordenação de mulheres e chegarem a suas próprias conclusões através do estudo da Bíblia acompanhado de oração. “Estas declarações de posição poderiam realmente ajudar, porque todas as passagens-chave são interpretados a partir de diferentes ângulos aqui”, disse ele, segurando uma cópia do relatório final da TOSC na mão.
 
Stele disse que os membros da Igreja poderiam influenciar a discussão da ordenação das mulheres de várias maneiras, inclusive por falar com os delegados que os representarão na próxima Assembleia da Associação Geral, que será realizada em San Antonio, Texas.
 
Wilson disse igualmente que os membros da Igreja poderiam compartilhar suas convicções com seus pastores e presidentes de associações, mas pediu que quaisquer conversas ou cartas sejam respeitosas e reflitam o espírito de Cristo. “Mas o mais importante”, afirmou, “é que ansiamos por suas orações para que nos humilhemos como líderes e ouçamos a voz de intervenção direta do Espírito Santo e da vontade de Deus revelada nas Escrituras”.
 
Stele concordou, dizendo: “Creio que o meio mais importante para participar seria se cada membro da Igreja orasse. Orem pelo processo e orem pela Assembleia de forma que não seja a sabedoria humana que prevaleça, mas a vontade de Deus”.


Links relacionados

O ponto de partida recomendado para pessoas não familiarizadas com as questões são essas três “Declarações do Caminho Adiante” que resumem as três posições sobre a ordenação de mulheres, elaboradas pela Comissão de Estudo da Teologia da Ordenação:

Way Forward Statement 1 (PDF)

Way Forward Statement 2
(PDF)

Way Forward Statement 3 (PDF)

Theology of Ordination Study Committee’s final report, including the “Position Summaries” (PDF)

All the documents related to the Theology of Ordination Study Committee’s work (web page)

All the documents related to the issue of the theology of ordination can be found in this special section on the website of the church’s Office of Archives, Statistics, and Research (web page)

The Adventist Church’s official position on how to study the Bible, titled “Methods of Bible Study”

Previous reports on women’s ordination

Reflections on the TOSC Deliberations” by Mark Finley, June 11, 2014

Ordination Study Concludes with Suggestions for ‘The Way Forward’” by Adventist Review staff, June 5, 2014

Study Committee Votes Consensus Statement on ‘Theology of Ordination’” by Mark A. Kellner, July 23, 2013

Trust Is the Foundation of Unity” interview with Artur A. Stele by Bill Knott, Oct. 11, 2012

Questions & Answers Regarding Current Issues of Unity Facing the Church,” Aug. 8, 2012

An Appeal For Unity in Respect to Ministerial Ordination Practices” by General Conference, June 29, 2012

Adventist Church Administration Commits to Comprehensive Study of Ordination” by Elizabeth Lechleitner, July 8, 2010