Adventist News Network®

The official news service of the Seventh-day Adventist world church

Líderes adventistas assinalam crescimento do ministério de atenção aos deficientes auditivos

Novo site pode ajudar a conectar comunidade de adventistas com deficiência auditiva, oferecer recursos para pessoas que não ouvem

Líderes adventistas assinalam crescimento do ministério de atenção aos deficientes auditivos

Membros da comissão do Ministério Pelos Deficientes Auditivos, da Divisão Norte-Americana, se reuniram no mês passado na sede da denominação em Silver Spring, Maryland, EUA. [Foto: Ansel Oliver]

Magnifying Glass View Larger

Novo site pode ajudar a conectar comunidade de adventistas com deficiência auditiva, oferecer recursos para pessoas que não ouvem


O ministério da Igreja Adventista do Sétimo Dia pelos deficientes auditivos está ganhando força em todo o mundo com uma maior coordenação para melhor alcançar e ministrar a membros dessa subcultura muitas vezes negligenciada.

Este ano assinala a primeira vez que cada uma das 13 Divisões mundiais da denominação tem um coordenador designado para ministérios em prol de deficientes auditivos na sua área, um passo que foi anunciado no Concílio Anual, em outubro.

Quem fez o anúncio perante a Comissão Executiva da Igreja a nível mundial foi Larry Evans, diretor-associado dos Ministérios de Mordomia, que há muito vem promovendo a missão aos deficientes auditivos e está ajudando a coordenar os esforço evangelístico da denominação para tal grupo. 

“Estamos vendo coisas interessantes acontecendo, e esperamos seguir oferecendo recursos tanto para aqueles com deficiências auditivas quanto para os que têm audição normal entenderem os desafios do ministério para esse grupo especial”, disse Evans. 

“Apenas cerca de 2 por cento das pessoas surdas são cristãs”, acrescentou. “Precisamos estar falando mais sobre como alcançar este grupo de pessoas não alcançadas”.

O desenvolvimento de recursos para deficientes auditivos inclui um novo website, com seções para surdos e pessoas que ouvem.

Os deficientes auditivos são muitas vezes isolados das fontes típicas de ensinamento e incentivo espiritual. Quando são membros de uma igreja de ouvintes normais, muitas vezes não são incluídos na maioria das atividades da igreja, incluindo sua liderança.

Algumas práticas em congregações de deficientes auditivos são visivelmente diferentes—cabeças não são curvadas durante a oração, hinos não são cantados, mas expressos em sinais, e aplausos são substituídos por um acenar de mãos.

Evans e outros, incluindo Debra Brill, vice-presidente da Divisão Norte-Americana, têm continuamente buscado levar a denominação a entender a melhor forma de ministrar aos deficientes auditivos. 

Acampamentos para deficientes auditivos têm sido realizadas nos Estados Unidos há mais de três décadas. No Quênia no início deste ano, uma foi aberta uma escola para surdos que serve a 18 alunos. Em abril, 75 pessoas de vários países da Europa realizaram uma reunião de deficientes auditivos na Alemanha. E no Brasil, mais de 1.200 pessoas participaram de uma reunião campal de pessoas com tais deficiências no mês passado.

Em áreas que não contam com uma abordagem coordenada para o ministério em prol de deficientes auditivos, os membros da Igreja podem pensar em maneiras de incluir essas pessoas nos cultos da igreja e sua liderança, disse Esther Doss, dos Ministérios Para Deficientes Auditivos Três Anjos, com sede em Greenbelt, Maryland.  “Faça amizade com pessoas deficientes auditivas e interaja com elas”, disse Doss. “Não temos que nos preocupar com cometer um erro—já estão acostumadas com isso”. 

Ela acrescentou que as igrejas podem treinar ou contratar um intérprete de linguagem de sinais para ajudar o deficiente auditivo a se sentir mais bem-vindo. “Use um pouco de imaginação, pense em como tornar o ambiente mais acessível”, disse Doss.

Muitos defensores do ministério dizem que são necessários mais recursos, incluindo um centro de treinamento para o Ministério Pelos Deficientes Auditivos a fim de treinar pastores e obreiros bíblicos afetados com tal problema. 

Em 1996, Jeff Jordan se tornou o primeiro adventista surdo a ganhar um Mestrado em Divindade do Seminário Teológico Adventista da Universidade Andrews. Ele agora pastoreia a Comunidade de Surdos do Sul, uma igreja online baseada no estado americano do Tennessee que ministra aos deficientes auditivos. 

Jordan disse que os funcionários da Igreja que trabalham em tempo integral no Ministério Pelos Deficientes Auditivos são poucos. “Precisamos de mais obreiros para ajudar a terminar a grande comissão dada a nós por Jesus”, disse ele.

Nesse meio tempo, pelo menos mais um obreiro está se aprontando para o serviço. O primeiro pastor adventista surdo do Brasil, Douglas Silva, vai se formar no seminário este mês. 

Para mais informações sobre os Ministérios Pelos Deficientes Auditivos visite adventistdeaf.org.