Adventist News Network®

The official news service of the Seventh-day Adventist world church

Dirigentes da Igreja confirmam que 10 estudantes adventistas foram mortos no massacre da Universidade Garissa, no Quênia

A igreja adventista local em Garissa, Quênia, pede orações pelas famílias das vítimas na comunidade

Dirigentes da Igreja confirmam que 10 estudantes adventistas foram mortos no massacre da Universidade Garissa, no Quênia

A igreja adventista local em Garissa, Quênia, pede orações pelas famílias das vítimas na comunidade


Homens armados invadiram a Universidade Garissa, localizada em Garissa, Quênia, na quinta-feira, 2 de abril, deixando um número estimado em 147 pessoas mortas. Tem sido relatado que membros de um grupo terrirista visaram na sua ação a estudantes cristãos, o que incluiu 10 adventistas do sétimo dia.

Dirigentes da Igreja confirmam que 10 estudantes adventistas foram mortos no massacre da Universidade Garissa, no Quênia.

A igreja adventista local em Garissa, Quênia, pede orações pelas famílias das vítimas na comunidade

Entre os mortos estava Eric Nyumbuto, líder da congregação adventista liderada por estudantes no campus.

Stanley Rotich, um membro da congregação adventista de Garissa informou que ele estava num prédio vizinho quando ouviu os tiros, o que o levou a chamar por telefone a Nyumbuto. A conversa terminou abruptamente quando o telefone foi desligado. Mais tarde, ele soube da morte de seus amigos.

Ao longo do ataque, 500 alunos conseguiram escapar, e vários ficaram gravemente feridos.

Um dos primeiros policiais a responder ao ataque foi Philmon Okal, superintendente da Escola Sabatina da congregação adventista local, em Garissa. “Palavras não podem descrever quão horrível foi passar pela experiência desse episódio. Mas este ataque faz-me lembrar que a segunda vinda de Jesus está muito próxima”, disse Okal. “Temos de continuar antecipando aquele dia em que violência, morte e destruição não mais existirão”.

Várias pessoas já foram presas em conexão com o ataque e o governo queniano prometeu trazer justiça rápida para todos os envolvidos.

Este é o mais mortífero ataque no Quênia em quase duas décadas. O grupo que reivindicou a responsabilidade pelo ataque é o mesmo que cometeu o atentado contra o Westgate Mall, em Nairobi, no Quênia, em 2013.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia lamenta as mortes desses estudantes. Membros da congregação adventista de Garissa disseram: “Estamos com o coração partido por esta perda sem sentido e solicitamos suas orações por todas as vítimas dessa terrível tragédia”.